Especialistas em protecção contra o raio

Pára-raios Aplicaciones Tecnológicas - Especialistas em proteção contra o raio, sobretensões e detectores de trovoadas.

APLICACIONES TECNOLÓGICAS UTILIZA COOKIES NESTA PÁGINA WEB

Pode consultar informação detalhada sobre as cookies e a sua utilização na nossa Política de cookies.

Ao fazer click em “Aceitar e continuar” estará a reconhecer que aceita o uso de cookies no seu computador.

Queremos mantê-lo informado sobre as novidades referentes aos Sistemas de Proteção contra o Raio (para raios, proteção contra sobretensões, detetores de trovoadas), atualização das normas existentes, desenvolvimento de cursos especializados de formação, jornadas técnicas, assim como das várias aplicações e downloads disponíveis.

Como se instala um para-raios?

24/10/2019

É um sistema de captação que tem por objetivo intercetar a descarga elétrica atmosférica para a conduzir à terra. Qualquer sistema de captação (para-raios) deve cumprir com as Normas ou Regulamentos que se aplicam, tanto nacionais como internacionais (principalmente as normas NP 4426:2013, UNE 21.186, NFC 17.102, Código técnico de Edificação apartado SUA8, Séries IEC/EN 62.305 e IEC/EN 62.561).

O que é um para-raios?    

Como se instala um para-raios?

O para-raios para poder cumprir a sua função, deve ser instalado sempre acima da parte mais elevada do edifício ou estrutura a proteger, deste modo captará a descarga elétrica do raio e permitirá um caminho seguro da corrente até à terra.

Que elementos compõe um sistema de proteção contra o raio?

Um sistema de proteção contra o raio contempla os seguintes componentes:

Porque devo instalar um para-raios?

O objetivo do sistema de proteção contra o raio é:

1) Capturar o raio

2) Conduzir a corrente de forma segura à terra

3) Dissipar a corrente do raio na terra

4) Proteger contra os efeitos secundários do raio

Num mundo de edifícios e equipamentos cada vez mais complexos, o raio é um risco. Uma descarga pode danificar os edifícios e produzir falhas nos equipamentos eletrónicos. Pode também originar um incêndio e perdas económicas muito graves.

Quais são os efeitos do raio e porque usamos um para-raios?

  • Efeitos elétricos: destruição dos equipamentos. Elevação do potencial de terra e geração de sobretensões que podem danificar os equipamentos ligados à rede elétrica.
  • Efeitos eletrodinâmicos: danos em edifícios. Deformações e roturas na estrutura pelas forças geradas pelo elevado campo magnético que se produz.
  • Efeitos térmicos: incêndios. A formação de faíscas e a dissipação de calor por efeito de Joule podem provocar incêndios.
  • Efeitos sobre pessoas e animais: electrocuções e queimaduras. O passo de uma corrente de certa intensidade durante um curto prazo de tempo é suficiente para provocar risco de electrocução por paragem cardíaca ou respiratória. A isto acresce o perigo de queimaduras.
  • Efeitos de indução: Dentro de um campo eletromagnético variável, todos os condutores sofrem o passo de corrente induzidas. Se estes condutores chegam a equipamentos eletrónicos ou informáticos podem causar danos irreparáveis.

Que tipo de para-raios existem?

Aplicaciones Tecnológicas, fabricante especializado em sistemas de proteção contra descargas atmosféricas, coloca à sua disposição tanto sistemas passivos como PDIs (para-raios com dispositivo de ionização). De seguida explicamos o funcionamento de cada um:

Os para-raios com dispositivo de ionização (PDI) baseiam o seu funcionamento nas características elétricas de formação do raio. O raio começa com um traçador descendente que se propaga em qualquer direção. Uma vez que esteja próximo dos objetos situados no solo, qualquer um deles pode receber o impacto. Os para-raios com dispositivo de ionização caracterizam-se por emitir o traçador ascendente contínuo antes de qualquer outro objeto no raio de proteção. O para-raios deve ser o ponto de impacto controlado da descarga, de forma que proporcione à corrente de raio um caminho à terra sem danificar a estrutura. As principais normas que regem este tipo de sistemas de proteção contra o raio são: NP 4426:2013, UNE 21186, NFC 17-102.

Os sistemas de captação mediante pontas e malhas consistem em repartir e dissipar a corrente de descarga do raio por uma rede de condutores. As secções e materiais devem cumprir o estabelecido nas normas que definem este tipo de sistemas (série IEC/EN 62305, série IEC/EN 62561).

Como saber se devo instalar um para-raios?

Sem tem dúvidas sobre se deve ou não instalar um sistema de para-raios, na Aplicaciones Tecnológicas realizamos-lhe um estudo com base nas normas e nas suas necessidades especificas.  Pode entrar em contacto com os nossos técnicos clicando aqui.